5.6.06

Trobar de Morte + Ashram = Gig of the year

I told you that I hoped this to be the gig of the year for me, and now I have to say that I'm most convinced that it will be. I mean, the year isn't even near it's end, but knowing which bands are doing what, which bands are giging or going to do it et al, I don't really believe that there will be a better one during 2006. Which is fine - this gig was just brilliant.

I didn't know Trobar de Morte, and they really surprised me with a very professional clear neo-folk music, and the only thing I can point out negativelly is that they don't have that much presence on stage: seems to me that they aren't used to gig'ing. But they were good enough for me to buy their newest album after their performance, so you can see it was good!

In the end, I gave 30€ for 3 CD's, which was a quite nice business, and then, off to Ashram.

The Ashram gig was just... awsome. The public just vibrated with them, and they were very communicative and receptive with such a feedback - which I can tell they weren't hoping to get - and so they had to do several encores to the final of it since we wouldn't shut up and let them go :-P

I took some pictures and did some videos with my cellphone. I know that they suck, but still I want to put it online when I have time to, specially since I found none of them online yet, even if there were lot's of people taking pictures and movies of it.

I know that at least a couple taped the whole Ashram's gig (until their tape was over). If you know anything about it, please contact me: I really want a copy of that.

Since this isn't a good review as it should be, let me point you to a great review specially about Ashram's performance (in Portuguese).


Update: The review has now changed to here. She also reviews Ashram's CD here.

4 comments:

  1. Estou atónita. Vinha divagar um pouco sobre as questões que equacionei em torno de Ashram e as novas sonoridades (passa por maturidade a diversos níveis, postura, som, letras, significâncias e profundidades) quando encontro um link para o meu modesto post fiquei atónita. [o meu comentário está em português, espero que não venha colocar em questão as estruturas nas quais o edificas].

    Vinha consagrar que a minha postura relativamente a Ashram não é a de apontar para uma mudança no sentido da regressão. As questões que equacionei apontam simplesmente para um exercício subjetivo (ainda em realização), o de interiorizar e enquadrar a nova sonoridade.

    Ia estender-me um pouco mais mas creio ser mais prudente regressar ao blog, retomar o assunto e acrescentar o que ia escrever por aqui.

    Lamento o comentário excessivo. Agradeço a visita ao meu blog e anoto a existência do teu.

    Um abraço

    ReplyDelete
  2. Non-Portuguese readers: sorry but this comment is a reply to the previous one, so I'm writting it in Portuguese.

    Vanessa: na realidade estava a contar fazer uma review eu próprio aos dois concertos, mas visto que tu fizeste uma review que gostei (tal como os teus dois blogs no geral), e porque o tempo era escasso, decidi antes apontar para a tua review.

    Quanto ao meu blog ser escrito em Inglês, sim, tenho preferência por conteúdos nessa língua visto que muitos dos meus leitores não sabem Português, mas tal como não exitei em colocar um link para uma review em Português, não tenho nada contra comentários nessa língua... Afinal cada um é livre de optar pela língua que quiser.

    Mais uma vez, compreendo perfeitamente a necessidade de interiorizar o novo trabalho de Ashram: tal como tu notei tanto no concerto como no CD que a sonoridade apresentada, e a própria postura e filosofia transmitida são diferentes. Percebo portanto que não se trata de equacionar se houve ou não uma regressão - trata-se antes de analisar o que mudou e porquê, já que a mudança per se é óbvia.

    Estás sempre à vontade para colocar comentários longos por aqui: não considero que longo seja excessivo. Obrigado pelo teu comentário, e acredita que me tornarei leitor regular dos teus blogs.

    ReplyDelete
  3. Hum... Hi... escreveria em inglês porém começo por divagar pelos perdões pois irei executar a escrita em português desiludindo assim os/as frequentadores/as do blog... Sou a Vanessa Sousa Dias, detentora do blog Sirena Virtual. Fiz umas reparações ao blog há momentos e vinha alertar-te para esse facto, uma vez que o link que havias colocado para o meu post deixa de encontrar existência na web.
    Estou agora em http://casadodesassossego.blogspot.com/

    Agradeço as tuas referências a Dismal.Gostava imenso de conhecer a sonoridade - a página está muito atractiva!- porém as músicas estão indisponíveis... continuarei a demanda.

    Um abraço.

    ReplyDelete
  4. Actualizei o link, obrigado pelo aviso.

    ReplyDelete